terça-feira, 1 de junho de 2010

Essa é do fuuuundo do baú, hein!!!

Já vou avisando logo que só quem vai entender plenamente o significado do post de hoje são meus irmãos...

Mas deixa eu me explicar melhor: em nossos tempos de primário usávamos na escola um livro de Comunicação Social que era muito lindo, cheio de textos e ilustrações maravilhosas, e tinha um poema que se chamava Menino Luxento e marcou nossa infância. Até hoje de vez em quando esse poema vem à tona, quando queremos implicar um com o outro ou reclamar com as crianças que elas não querem nada, usamos logo essa expressão e damos boas risadas!!

Tenho certeza que Xande e Xanda vão concordar comigo, esse texto é muito engraçado e hoje o menino mais luxento de todos se chama Guilherme hahahahaha

Aí hoje eu estava aqui trabalhando e do nada me lembrei do velho menino luxento, e qual não foi minha surpresa ao conseguir encontrar o tão "famoso" poema:

Menino luxento

- Menino luxento, você quer pudim?

- Não, mamãezinha, está muito ruim.

- Menino luxento, você quer empada?

- Não, mamãezinha, está muito salgada.

- Menino luxento, você quer assado?

- Não, mamãezinha, está muito tostado.

- Menino luxento, você quer salada?

- Não, mamãezinha, está muito aguada.

- Menino luxento, você não quer nada?

- Menino luxento, pois tome palmada!

(hahahahahahaha)
# salve o Santo Google, que me ajudou a recuperar essa "preciosidade" que faz parte do patrimônio histórico da minha infância ; ) rsrsrsrsrs

2 comentários:

Alexandre disse...

Com certeza irmã, esse é inesquecível e até hoje nao descobri um titulo melhor do que esse pra essas frescuras de criança... rs A solução também é otima. Nao quer nada, entao tome palmada! hahahahahaha

Patrícia Abreu disse...

Hahhahahhah, eu tembém li este poema na infância!!!! Que nostalgia, hein!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...