quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Esse é pra mulherada!

Acabei de ler esse texto no blog da Lídia, achei muito bacana e trouxe pra cá... pode parecer "despeito" da minha parte, afinal quem me conhece sabe que raramente na minha vida estive em, como posso dizer, "harmonia" com a balança, mas não é. Embora eu não seja obcecada por medidas e pesos, também não me considero totalmente desleixada e despreocupada com isso. Tenho minhas encanações, e gostaria sinceramente de ter tempo pra me dedicar a uma atividade física, porque gosto de me movimentar e curto a adrenalina que o exercício traz. E ainda me acho uma mulher razoavelmente bonita (ai, ai, quanta humildade!), embora tenha plena consciência de que já fui mais rsrsrsrs mas procuro me valorizar, seja usando uma maquiagem leve todos os dias, seja escolhendo criteriosamente as roupas que uso, seja escondendo meus pontos fracos e mostrando os fortes através de detalhes que compõem melhor o figurino hehehe

Enfim, interessante é que já me disseram que "tenho cara de rica" (se é que rico tem cara rs), mas é claro que se isso fosse verdade se deveria somente à minha postura, e não pela conta bancária (que definitivamente não tem nada de rica rsrsrs). O fato é que não é preciso ter grana pra ser elegante, na verdade é preciso ter um olhar crítico aguçado sobre si mesmo, de modo que ao se olhar no espelho você consiga perceber e avaliar suas qualidades e defeitos (estou falando de aparência física). Mas a grande maioria das mulheres são realmente bastante cegas nessa avaliação, e não conseguem fazer as melhores escolhas ao se vestir, ao se maquiar, ao se perfumar, ao se comportar... um exemplo básico: numa praia ou piscina, quantas mulheres ali deveriam ter escolhido um biquini maior ou um maiô, mas insistem em exibir todos os seus pontos fracos em biquínis que mostram tudo, menos bom gosto por parte de quem os usa... gente, peloamordedeus!!!! Não se engane, ninguém (a não ser os pedreiros daquela obra que ficam assoviando até pra sua sombra) gosta de ver corpos rechonchudos, peitões sobrando no sutiã  e gorduras localizadas à mostra!!! Então esconda-os!

Outra coisa: gordinha ou magrelinha, alta ou baixa, se você já passou dos 30, é hora de dar adeus àqueles shortinhos e todos os "inhos" lindos que você usava nos verões dos seus 20 e poucos anos... adote shorts um pouquinho mais compridos, bermudas de bom corte bem estilosas, não precisa se vestir como uma senhora de 50 anos, mas é preciso ser mais criteriosa na escolha das roupas e acessórios... e não se engane: quando você usa uma roupa "inadequada" pra sua idade ou seu tipo físico você fica deselegante sim!!! A imagem que você passa é de que usa o que quer, independentemente da relação do "eu gosto x isso me cai bem". E nem preciso dizer que isso não tem nada a ver com quantos quilos você pesa, né? Isso vale pra TODAS!

Então, já fazia um tempão que eu queria escrever sobre isso, mas só hoje, ao ler esse texto, me "inspirei" rsrsrsrs gostei das palavras escolhidas pelo autor pra falar daquilo que sempre tem algo que nos incomoda: nosso corpo...

A carta de um Homem - autor desconhecido

Não importa o quanto pesa. É fascinante tocar, abraçar e acariciar o corpo de uma mulher. Saber seu peso não nos proporciona nenhuma emoção.

Não temos a menor idéia de qual seja seu manequim. Nossa avaliação é visual.

Isso quer dizer, se tem forma de guitarra... está bem. Não nos importa quanto medem em centímetros - é uma questão de proporções, não de medidas.

As proporções ideais do corpo de uma mulher são: curvilíneas, cheinhas, femininas.... Essa classe de corpo que, sem dúvida, se nota numa fração de segundo.

As muito magrinhas que desfilam nas passarelas seguem a tendência desenhada por estilistas que, diga-se de passagem, são todos gays, e odeiam as mulheres e com elas competem. Suas modas são muito retas e sem formas, e parecem agredir o corpo maravihoso das mulheres.

Não há beleza mais irresistível na mulher do que a feminilidade e a doçura. A elegância e o bom trato são equivalentes a mil viagras.

A maquiagem foi inventada para que as mulheres a usem. Usem!

Para andar de cara lavada, basta a nossa... sem graça. Os cabelos, quanto mais tratados, melhor.

As saias foram inventadas para mostrar suas magníficas pernas.

Por que razão as cobrem sempre com calças longas? Para que as confundam conosco? Uma onda é uma onda, as cadeiras são cadeiras, e pronto. Se a natureza lhes deu estas formas curvilíneas, foi por alguma razão, e eu reitero: nós gostamos assim. Ocultar essas formas, é como ter o melhor sofá embalado no sótão.

É essa a lei da natureza... que todo aquele que se casa com uma modelo magra, anoréxica, bulímica e nervosa logo procura uma amante cheinha, simpática, tranqüila e cheia de saúde.

Entendam de uma vez! Procurem agradar a nós, e não só a vocês; porque nunca terão uma referência objetiva, do quanto são lindas e maravilhosas, dita por uma mulher. Nenhuma mulher vai reconhecer jamais, diante de um homem, com sinceridade, que outra mulher é simplesmente linda!

As jovens são lindas... mas as de 30 para cima, são verdadeiros pratos fortes. Por Karina Zzocco, Eva Longaria, Angelina Jolie ou Demi Moore, somos capazes de atravessar o Atlântico a nado. O corpo muda... cresce. Não podem pensar, sem ficarem psicóticas, que podem entrar no mesmo vestido que usavam aos 18. Entretanto, uma mulher de 45, que entre na roupa que usou aos 18 anos, ou tem problemas de desenvolvimento, ou está se auto-destruindo.

Nós gostamos das mulheres que sabem conduzir sua vida com equilíbrio, alegres, e que sabem controlar sua natural tendência à culpas. Ou seja, aquela que quando tem que comer, come com vontade (a dieta virá em setembro, não antes; quando tem que fazer dieta, faz dieta com vontade (não se sabota e não sofre); quando tem que ter intimidade com o parceiro, tem com vontade; quando tem que comprar algo que goste, compra; quando tem que economizar, economiza.

Algumas linhas no rosto, algumas cicatrizes no ventre, algumas marcas de estrias não lhes tira a beleza. São feridas de guerra, testemunhas de que fizeram algo em suas vidas, não tiveram anos 'em formol', nem em Spa... viveram!

O corpo da mulher é a prova de que Deus existe. É o sagrado recinto da gestação de todos os homens, onde foram alimentados, ninados e nós, sem querer, as enchemos de estrias, de cesárias e demais coisas que tiveram que acontecer para estarmos vivos.

Cuidem-no!

Cuidem-se!

Amem-se!

A beleza é tudo isto. Tudo junto!

Um comentário:

Lidia disse...

Bom saber que você leu meu blog, melhor ainda saber que gostou do mesmo texto que eu. ☺

Estar em harmonia com a balança, pra mim, é missão quase impossível, não sei o porquê, mas não perco meu sono por isso, que dirá arriscar minha sanidade mental.

De fato, um pouco de vaidade e (bastante) bom senso são fundamentais!

E que mulher não gosta de se produzir e receber um elogio sincero?

Beijos, fiquem com Deus.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...